22 de mai de 2013

Ressaca literária - A hospedeira, Tem alguém aí e A seleção

Faz algum tempo que não tô na vibe de livros e isso é muito chato. Eu adoro ler e quando entro numa livraria fico babando querendo livros novos, mas tenho  uns 6 livros aqui que ficam me olhando enfezados todos os dias achando que eu os reneguei. Me enquadrei numa ressaca literária.

Tentei ler A hospedeira antes do filme ser lançado, mas falhei completamente. Não cheguei a ler nem metade do livro, mas mesmo assim consegui ver o filme e acha-lo ruim. Antes de ver o filme estava achando a leitura meio chatinha, mas quando assisti o filme vi que estava enganada. 
Xinguei os primeiros minutos do filme (que foi parte que eu tinha lido) e fiquei boiando achando tudo vago no resto do filme. Um comentário que resume bem o que eu senti com o filme foi o que os meninos do Cabine Literária disseram a respeito.
Agora que já sei o final abandonei o livro, mas fiz isso também pq estava lendo ele no computador e isso é muito chato.
***
O último livro que adquiri comprei por que estava na promoção, foi tipo uns 15 conto, e já era um livro que queria ler. O livro foi o Tem alguém aí da Marian Keyes e pelo que só percebi hoje ele é o quarto livro da coleção Familia Walsh. Basicamente os livros falam cada um sobre uma das quatro irmãs Walsh e o fato das personagens e das histórias se cruzarem nos livros sempre foi algo que me fez achar a Marian muito inteligente. Já tinha lido Melancia e Férias (que por sinal são os volumes 1 e 2), mas nem sabia que tinha uma sequencia nos livros, pra mim sempre foram livros independentes e dá pra ler como se fossem mesmo. 
Tem alguém aí conta a história de Anna que acabou de passar por um forte acontecimento na sua vida e está tentando lidar com o que aconteceu. Isso é tudo o que eu posso falar, por que ainda estou lendo (acabei de chegar na parte 2 *comemora*) e porque não quero dar spoilers. =P
Uma coisa que achei, levando em consideração os volumes que já li, é que sempre começa com uma história triste de uma garota desajustada e acaba com um final feliz. É meio que um padrão nos livros, só muda o contexto (só falta ler Los Angeles pra confirmar minha teoria).
Apesar de serem divertidos, nenhum deles até agora ficou entre meus favoritos. Mas deixa eu terminar de ler pra ver se mudo de ideia. ;)
***
Esse final de semana foi ao shopping com meu mozi  e o nosso ponto de encontro acaba sempre sendo a livraria. Resolvi pegar um livro para ler enquanto ele não chegava e o que me chamou a tenção foi A seleção. Além da capa ser linda, achei que a sinopse é me jovem e bestinha, como eu gosto.
O livro é uma distopia onde, pelo que pude entender, as classes sociais são divididas por números. A protagonista é uma garota que lógicamente é de uma das castas mais baixas (são 8 e ela é da 6) e tem a oportunidade de concorrer para ascender de nível. Sua mãe fica no pé dela e mas ela não quer participar da tal seleção. Das três páginas que consegui ler antes de mozi chegar isso é tudo que sei (além do fato de que a história se passa num "futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e a Illéa, esta última é onde se passa a história). Apesar de ser bem previsível que ela vai acabar participando e vai ganhar (mesmo por que livro 2 se chama A elite), fiquei tentada a continuar a leitura. 
Acho que essa será a minha próxima leitura após terminar Tem alguém aí. Isso se eu terminar. Minha vida é uma eterna incognita, mas vamos torcer!

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...