1 de mar de 2014

Meu presente de aniversário: Tablet Galaxy Note 8



Eu gosto muito do meu aniversário. Ele representa pra mim um dia para celebrar a minha existência, por isso tento, mas que o de costume,  fazer as coisas que me fazem feliz. Além disso gosto de me mimar um pouco nesse dia.

O meu Iphone foi um presente de aniversário meu e da minha mãe e foi uma das melhores compras que já fiz. Desde que comprei eu não vivo sem meu celular e sem meus aplicativos. Eu gerencio a minha vida toda virtualmente, de onde eu estiver, e amo poder fazer isso. Entretanto, o celular acabou se tornando desconfortável para certas atividades como leitura,  produção de posts, entre outras atividades. Por isso, resolvi comprar algo que suprisse esses aspectos.

Como preciso de mobilidade para dar conta de tudo na minha vida eu resolvi que me daria um Tablet de presente de aniversário. A escolha do modelo não foi tão difícil como imaginei. Fiquei na dúvida entre comprar um Ipad ou um Galaxy, mas como já tinha um aparelho com o sistema operacional da Apple resolvi testar um android e comparar os dois (eu amo testar coisas!). Além disso, a família Galaxy além de ter mais opções de modelos, tem um custo menor.

Tendo em mente a marca, fui decidir o modelo e dentre os principais eu separei o Tab 3 e o Note. As principais diferenças que notei foram quanto ao processador, memória, resolução da câmera traseira e da gravação de vídeos em que o note é melhor, mas o grande diferencial mesmo que notei é a S pen, uma caneta digital que você pode escrever a punho e desenhar. Como adoro testar novidades escolhi o note. Meu bolso não gostou por que ele é uns 400 reias mais caro, mas minha curiosidade venceu dessa vez, a final era presente de aniversário.

Escolhido o modelo fui pensar no tamanho e desde cedo já tinha em mente que não queria um Tablet de 10 polegadas por que é muito grande e meu foco era carregar na bolsa. Decidi que só compraria o 10" se a diferença de preço não fosse lá grandes coisas, mas era. Acho que o de 8" é ótimo para mim e não me arrependo.

Aqui em casa eu era a única que tinha um aparelho da apple, então acabava que eu sempre tinha que aprender a mexer no Android para explicar pra minha mãe e pro meu pai como o celular deles funciona. Por isso tinha uma ideia básica de como era o Android. Depois do Tablet só confirmei a minha opinião de que para um usuário básico as duas plataformas não fazem muita diferença não.


Antes de comprar o Tablet achei que a função Note com a canetinha não era lá grande coisa e que nem ia usar tanto, talvez só para fazer uns fluxogramas. Eu achei isso por que fiquei imaginando ter um ideia e ter que pegar o Tablet, colocar a senha, entrar no aplicativo e começar a escrever. Até fazer esse processo todo já teria esquecido o que queria escrever (acredite minha meus pensamentos são muito voláteis, e tendem a fugir com rapidez da minha mente, sou capaz de esquecer só de ir apertar o botão pra abrir o aplicativo). Mesmo antes do Tablet, apesar de ter diversos aplicativos de notas no celular eu não dispensava o bom e velho caderninho de papel, por que é muito mais fácil e rápido escrever no papel que ficar digitando teclinhas. Com o tempo venho usando cada vez mais e acho que pra quem vive fazendo anotações, como eu, vale a pena. Basta tirar a caneta e já aparece um post it na tela para você começar a escrever, mesmo com a tela bloqueada. A escrita fica igual a feita com o papel (ou seja minha letra continua terrível por que anoto rápido para não esquecer a ideia) e é até mais prático para apagar algum erro (apaga com a própria caneta!). 

Quanto a bateria eu achei razoável. Dura bem mais que meu Iphone, mas não tanto quanto eu gostaria ( nada que uma bateria externa não resolva). Eu não uso direto, é mais nos horários de brecha na rua e no trabalho, então ela dura uma média de 7h, mas a internet está sempre ligada, então tem um consumo constante (e creio que alto) de bateria. Mas mesmo assim 


Tenho que confessar que ainda ando com o meu caderninho no bolso por alguns motivos:
  1. Com a violência da cidade não é todo lugar que eu tenho coragem de saca um Tablet. Ele chama logo atenção.
  2. Sou a neurótica da bateria e tenho medo dela acabar e eu não ter onde anotar.
  3. Ainda não passei todos os dados do caderno para o Tablet, então sempre levo caso eu queira consultar alguma coisa.
Passei a usar bem menos o computador em casa, por que consigo adiantar as coisas nas horas vagas, então estou adorando. Se você quer mobilidade eu super recomendo, mas como o Tablet é tipo um smartfone só que com a tela maior, se seu celular te supre bem não há muito motivo para investir nele. 



P.s.: Esta foi uma das metas que cumpri no projeto 101 em 100. Para conhecer o projeto e ver todas as metas basta clicar aqui.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...