26 de dez de 2015

A teimosia pedala

Sabe a parada das caminhadas que comecei em setembro? (Se não sabe leia este post aqui) Também não prosperaram. Apesar dos podcasts terem me ajudado muito, estava sendo chato. Eu simplesmente não me contorcia quando ouvia a palavra caminhada. Mas sempre tive uma vida com atividades físicas e, apesar de ter reclamado muito na época, agradeço isso a educação física na escola. Eu gosto de exercícios, só preciso achar um exercício pra chamar de meu.

Desde pequena eu sempre andei de bicicleta e eu sempre amei. Eu nunca vi aquilo como um exercício e sim como diversão. Fazia algum tempo que eu não tinha mais bicicleta e eu sempre pensava que queria ter outra novamente, mas fica na lista do "talvez/algum dia". Em novembro eu fui no médico fazer check-up e a médica passou um teste de esforço. Esse teste consiste em você andar/correr em um esteira por o máximo de tempo que você aguentar. Esse momento foi até um fato engraçado na minha cabeça, pois eu no final estava do teste estava morrendo, mas com cara de paisagem. Acho que a pessoa que monitorava o teste percebeu, pois ficava perguntando se eu estava bem toda hora. Talvez ela tenha visto que os meus batimentos crescendo exponencialmente não condiziam com a minha cara de paisagem. Ou talvez seja só o procedimento padrão. Mas, definitivamente, a situação foi bem mais engraçada na minha cabeça.

O fato é que eu voltei para a médica com o resultado dos meus exames e estavam tudo normal, exceto o fato de eu estar abaixo do peso ideal e com um condicionamento físico não tão bom para uma pessoa da minha idade. Ela deu até um papel que me libera para fazer academia, mas não obrigada. Ela mencionou também que como meu objetivo não era perder peso, eu poderia fazer atividades como natação (PELOAMORDEDEUSNÃO) ou andar de bicicleta (DING! DING! DING!). Eu amor andar de bicicleta e não é algo que eu veja como exercício então, ai ser divertido!

Chegando em casa, contei a meu pai que a médica tinha recomendado andar de bike e ele me disse logo que: ou eu iria me machucar ou que seria roubada. O que de fato pode acontecer, com bicicleta ou não. Eu me machucar é um fato corriqueiro. Sou uma pessoa sem noção de espaço, por isso, religiosamente, eu chuto a minha cama toda semana com as mais diversas partes do meu pé (e de fato eu me machuquei no primeiro dia que comprei a bicicleta, para ler sobre esse dia clique aqui). Meu pé é um cara sofredor. Se ele de fato fosse um cara ouviria Pablo do Arrocha. Ter um bicicleta chama a atenção de ladrões? Sem dúvidas, mas saber que você está maisque aceitar as consequencias do que vier.

A verdade é que meu pai falava como seu eu fosse um ser totalmente inconsequente que fosse sair cortando carros pedalando por horas como se não houvesse amanhã. Essa falta de fé na meu senso de responsabilidade me fez querer ainda mais a bicicleta. Sabe aquela sensação de challenge accepted (desafio aceito)? Ele poderia achar que seria a pior ideia do mundo eu andar de bicicleta, mas eu ia andar mesmo assim. Iria ser legend ....wait for it!


Para ler sobre o dia que eu comprei minha bicicleta clique aqui.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...