7 de mar de 2016

Apego


Eu gosto de pensar que apego é algo natural do ser humano. A gente tem apego pela família, pelos amigos, pela cidade, pelas boas lembranças. Todas essas coisas trazem uma ideia de pertencimento. Você fica a vontade pois isso tudo faz parte da sua vida, faz parte de você. Apego traz a ideia de cuidado também, de querer prolongar aquilo, por que lhe faz bem.

Mas às vezes acontecem situações que vão de encontro ao apego. A gente tem que mudar de cidade, fica longe dos amigos dos familiares ou a gente termina um relacionamento que tinha muitas boas memórias. A gente luta contra contra essas mudanças justamente por causa do apego. Porque por mais que o futuro possa ser bom sem elas, nós não queremos perder e abrir mão do que já é bom hoje.

A verdade é que desapegar doi. Mas sabe aquela história de tudo depende de como você vê as coisas? Pois bem, isso pode facilitar. Você olhar as coisas não como uma perda e focar no que de bom o desapego pode trazer. Isso faz aquele angústia no peito diminuir.

O meu principal desafio de desapego nesses tempos tem sido o fim do meu relacionamento de três anos. Três anos para mim é muita coisa, são muitas histórias e muitas memórias. Foram muitas coisas boas e poucas ruins. Foi um amor intenso. É difícil se desfazer disso.

O que eu tenho feito é pensar na mulher poderosa que eu me tornei e em como eu me amo e me orgulho de quem sou bem mais hoje. Sou grata por isso.

Eu fico pensando em uma mãe protege os filhos por amor e apego e acaba sendo sufocante com a super proteção. Me sinto assim, tão ligada ao relacionamento que me sinto sufocada por suas lembrancas. A conclusão que eu cheguei é que apego gera mais apego numa exponencial louca que se a gente não tomar cuidado se torna algo que não é nada saudável.

Tem certas frases que escuto ou leio por aí que se encaixam tanto na minha vida e tem um impacto tão revelador em mim que eu transformo em mantra e fico repetindo de novo e de novo. A frase da vez é: amar é deixar ir. Proteger é sinal de amor e cuidado, mas amar é dar aquilo que a pessoa precisa, seja deixar um filho quebrar a cara para conseguir crescer e ser independente, seja esquecer de todo um relacionamento para conseguir seguir em frente. Amar é deixar ir.

Um comentário:

  1. Poisé, o Apego faz nossa vida mais agradável e confortável, é bom sempre sentir que temos uma rede de segurança lá embaixo para nos segurar...as vezes só a lembrança já é boa, como dizia o pequeno principe "eu me lembro que vou te ver as 4h e já fico feliz antes"; mas dai ... o apego também traz dor quando perdemos,e TUDO que vive neste mundo um dia vai sumir, e algumas sumirão antes de nós ... daí caímos na realidade que apego não pode ser dependência, ficamos a mercê do único caminho possível, que é negar a forma como dependemos de coisas e pessoas, nos deparamos com o desapego Zen das coisas...talvez este parodox prove que nós ocidentais não sabemos viver ...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...