13 de jun de 2016

Sozinha também é bom

Escrevi esse texto na minha página do face, mas como nem não costumo ter samyzitos e e samyzetes por lá resolvi postar aqui também. Espero que curtam.

Às vezes eu escrevo no meu blog. Muitas vezes tem um pouco da minha realidade e muita invenção. Às vezes é só invenção, mesmo. Histórias de pessoas que vivem na minha mente criativa. Dessa vez resolvi utilizar exclusivamente a minha realidade e contar minha saga no Facebook.

Hoje fui no Outback sozinha (nossa como eu adoro o ambiente daquele lugar) e quando falei que queria uma mesa pra um a atendente respondeu com uma voz de pena: "Pra um?". Afirmei que sim, sem entender o espanto.

Confesso que me passou na cabeça a possibilidade de pedir uma mesa pra dois e fingir que levei um bolo. Mas, por mais que eu tentasse, não conseguia entender qual seria o problema em sentar sozinha para jantar.

Olhei o cardápio e me veio uma felicidade, sabe-se lá de onde, em poder escolher qualquer coisa sem precisar depender do que a pessoa comigo quer comer. 

Sentei ao lado de um grupo de amigos bens jovens que falavam sobre as suas a aventuras e desventuras, celulares, séries e enfim, coisas que amigos falam. Por um minuto tive vontade de estar com meus amigos.

A garçonete apareceu para me atender e me olhou com cara de "como assim?" quando eu fiz o pedido sem dizer que estava esperando alguém chegar.

Esperei a comida enquanto ouvia a música ambiente e minha atenção se voltou para os amigos da mesa ao lado. Amo meus amigos e minha família, mas velho, eu tava muito feliz em estar ali s-o-z-i-n-h-a.

Pode parecer estranho, mas, mais do que nunca, eu amo e prezo a minha companhia. Ouvir meus pensamentos e as minhas idéias mirabolantes é divertidíssimo. 

De repente chegaram 6 mini hambúrguers. Iria eu aguentar tudo? Apostei as minhas fichas que não, mas eram mini, então ainda tinha esperanças.

Terminei o primeiro é já estava cheia. Forcei mais um, mas depois do copo de chá de pêssego tamanho extra grande só meio hambuger conseguiu atravessar a fronteira em busca do meu estômago. Graças a Deus sempre é possível levar o que sobrar pra casa.

Mas no final das contas cheguei a uma conclusão: Se chegar um ponto na minha vida em que a minha companhia não me fizer feliz, nada fará. #pormaissaidassozinhas

Um comentário:

  1. Sabe uma musica que sempre vem a cabeça par amomentos como este (No one Would Listen), saboreado o prazer da solidão-poética, que é bem melhor que alguem do lado nada a ver conosco, então vem a tal momento sozinho que chega ser uma poesia, e esta musica do Fantasma da Ópera, o fantasminha lamentando ter perdido Christine para o conde ... ohhh coitado do Fantasma ! https://www.youtube.com/watch?v=GU0YGgs8KTA

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...